Siga por e-mail

Seguidores

sexta-feira, 30 de março de 2012

A Visão da Bruxa


“A visão é a capacidade de ver, ouvir, sentir, tocar e sentir o sabor com os sentidos internos” (Starhawk). 





A visão através dos olhos, como um dos cinco sentidos, é um pouco diferente dessa visão a qual estamos nos referindo, pois trata-se apenas de ver com os olhos. Na visão da Bruxaria, estamos falando em ver com a mente.
As bruxas sempre estiveram associadas aos dons da visão e da clarividência. A grande maioria das pessoas pensa que apenas algumas pessoas nascem com esse poder. No entanto, o dom da visão pode ser desenvolvido em qualquer um, através de práticas e exercícios.
A visão na Bruxaria relaciona-se à arte de ver fatos, objetos ou situações através de impressões psíquicas. O inconsciente é clarividente e telepático por Natureza. Aprender a utilizar objetos em foco para desenvolver a percepção é fundamental no começo, mas a tendência é que som o passar do tempo você não precise mais de tais objetos.
O treinamento mágico para quem trabalho sozinho é mais difícil, por não ter orientação, mas pode ser feito da mesma forma, permitindo que entremos em contato com o Divino dentro de nós. Há quatro habilidades básicas que devem ser desenvolvidas por quem está iniciando: relaxamento, concentração, visualização e projeção.
A visualização criada em feitiços e rituais deve ser aquela do objetivo desejado, não necessariamente o meio pelo qual eles ocorrerão. Nós imaginamos um paraplégico correndo no campo, e não os seus ossos. Mantemos nossa atenção sobre o nosso propósito.
Quando iniciar seus exercícios de visualização, preste sempre muita atenção nos símbolos, cores, divindades, animais, plantas, paisagens, números e cenas que aparecerem. Preste atenção a quem eles estão ligados.
Desenvolva uma rotina disciplinada de prática da visão, anotando semrpe todas as suas experiências. Procure manter uma rotina de exercícios três vezes por semana, pelo menos, e faça sempre uma lista dos símbolos que aparecerem para você.
A visão desenvolve-se apenas com a prática. Algumas pessoas têm mais facilidade que outras, mas todos podem se aperfeiçoar. Para se ter uma idéia de como qualquer um pode desenvolver a visão, aqui vai uma brincadeirinha: NÃO PENSE EM UMA MAÇÃ VERDE!
Obviamente você pensou em uma maçã verde. Apesar de eu ter dito para você não visualizá-la, você visualizou. Isso porque a palavra-chave do comando foi “maçã-verde”, então seu cérebro automaticamente associou à fruta. Essa brincadeirinha simples serve apenas para mostrar que qualquer um tem a visão, só deve desenvolvê-la.




Adivinhação

Adivinhação é a arte de usar a sensibilidade para prever eventos passados, presentes e futuros.
As bruxas e bruxos aprendem a desenvolver seus dons psíquicos de modo que ficam mais “abertas(os)” a esse tipo de percepção. Não é necessário nascer com um dom, porém há pessoa que desde pequenas já são mais sensíveis a esse tipo de coisa. Sensibilidade que pode ser aprendida por qualquer um que se dedicar ao estudo da Arte.

Entre os ramos da adivinhação estão:
Acultomancia – Adivinhação por meio de agulhas.
Aeromancia – Adivinhação pelos fenômenos aéreos.
Alectromancia – A arte de adivinhar por meio de um galo.
Aleuromancia – É um meio de adivinhação através da farinha.
Alfitomancia – Adivinhação muito antiga por meio do pão de cevada.
Alomancia – Adivinhação por meio do sal.
Amniomancia – Observação do crânio de uma criança ao nascer.
Antropomancia – Consulta dos intestinos e órgãos internos de crianças sacrificadas (o imperador Juliano, o Apóstata, parece ter praticado este método de adivinhação)
Apantomancia – Observação de objetos que aparecem repentinamente.
Armomancia – Observação dos ombros e costas de um animal que foi sacrificado com esse propósito.
Aspidomancia – Adivinhação colocando-se no interior de um círculo mágico e caindo-se num estado de transe provocado pela recitação de fórmulas mágicas.
Belomancia – Adivinhação pela observação da trajetória de flechas.
Bibliomancia – Consulta de uma passagem ou linha de um livro, escolhida ao acaso.
Botanomancia – Adivinhação que queima os pequenos ramos de verbena ou outro vegetal, colocando-se no fogo, inscritas em papel, as perguntas que deverão ser respondidas.
Brizomancia – Nome que se costuma dar à arte de interpretação dos sonhos.
Cafeomancia – Leitura da borra de café.
Capnomancia – Adivinhação por meio da fumaça.
cartomancia – Adivinhação através de jogos de cartas.
Catroptomancia – Adivinhação por meio de lentes ou de espelhos mágicos. Esta prática esteve em voga na Roma antiga, e é mencionada por Apuleo, o filósofo e novelista romano, bem como por Pausanias, o viajor grego, e por Santo Agostinho.
Causimomancia (ou Piromancia) – Adivinhação pelo fogo (quando o objeto jogado ao fogo não queimava, o prognóstico era muito propício).
Cefalomancia – Assava-se uma cabeça de asno sobre brasas e perguntando se o suspeito era ou não culpado.
Ceraunoscopia – Adivinhação que os antigos, praticavam pela observação dos raios e dos relâmpagos e dos trovões, assim como de outros fenômenos do ar.
Ceromancia – Adivinhação através de cera derretida.
Chaomancia – Arte adivinhatória baseada nos sinais oferecidos pelo ar.
Cledonismancia – Sistema adivinhatório baseado nas frases que chegam primeiro aos nossos ouvidos.
Cleromancia – Adivinhação através do jogo de dados.
Dactilomancia – Adivinhação através das letras do alfabeto.
Dafnomancia – Observação da maneira pela qual um ramo de louro, jogado ao fogo, queimava.
Empiromancia – Observação de objetos jogados ao fogo sacrificial.
Eromancia – Um dos seis sistemas de adivinhação que eram mais freqüentes entre os persas. Consiste no seguinte: o consultante tapa sua cabeça e rosto com um pano e segura nas mãos uma vasilha com água. Então formula seu desejo ou sua pergunta. Se a água lhe parecer que está fervendo, é prognóstico de que as coisas sairão bem.
Fisiogonomia – Adivinhação de caráter pelas formas do rosto.
Gastromancia – Adivinhação por meio de ventriloquismo.
Geloscopia – Adivinhação pela interpretação do riso de uma pessoa.
Geomancia – A geomancia, que surgiu em tempos remotos, possivelmente tenha esse nome não apenas por interpretar marcas feitas no solo, na terra, mas por ser uma das formas de consulta à Divindade da Terra – ou Espírito da Terra.
Geromancia – Esta adivinhação fundamentava-se no exame das vísceras das vítimas.
Grafologia – Sistema de conhecimentos pertencente ao quadro das ciências ocultas, que, pelo exame da forma de um escrito, deduz as tendências principais caráter e inclinações – do indivíduo que o fez.
Hepatoscopia – Observação do fígado de um animal morto.
Hidromancia – Adivinhação por meio da água.
Hipomancia – Observação do caminhar de um cavalo.
Ictiomancia – Observação das entranhas de um peixe.
Lampadomancia – Adivinhação por meio da chama de uma lâmpada ou vela.
Lebanomancia – Observação das volutas da fumaça do incenso.
Lecanomancia – Maneira de predizer o futuro por meio da água, do ouro e de pedras preciosas.
Litomancia – Adivinhação por meio de pedras que se obtém fazendo com que batam umas contra as outras para deduzir sinais pela intensidade e timbre do som.
Mararitomancia – Adivinhação por meio de pérolas.
Nairancia – Sistema árabe de adivinhação fundamentado nas interpretações obtidas de certos sinais e aspectos do Sol e da Lua.
Necromancia – Processo para se obter respostas dos cadáveres ou da cabeça de um morto, e também das almas dos falecidos, por meio de evocações.
Nigromancia – Sistema mágico de encontrar as coisas que estejam ocultas em lugares obscuros, profundos e tenebrosos, como acontece nas cavernas, minas, galerias subterrâneas etc.
Oculomancia – Antigo modo de descobrir os autores de roubos e outros crimes baseado na maneira de olhar do suspeito.
Oeniática – Observação do vôo dos pássaros.
Ofidiomancia – Adivinhação por meio das serpentes, conforme a sua maneira de rastejar.
Oinomancia – Adivinhação por meio do vinho, segundo a qual se deduzem as profecias conforme os caracteres do seu sabor ao bebê-lo e outras circunstâncias especiais. Os persas usavam muito este processo.
Ololigmancia – Adivinhação que se praticava deduzindo-se os presságios através dos latidos dos cães.
Onfalomancia – Sistema de adivinhação por certos caracteres que o umbigo apresenta. As antigas parteiras eram as que mais usavam esta arte adivinhatória.
Onicomancia – Adivinhação por meio das unhas.
Onomancia – Adivinhação baseada no estudo dos nomes das pessoas.
Ornitomancia – Adivinhação baseada no vôo, canto e chilrear das aves.
Ouija – Tabuleiro constituído de uma prancheta com o alfabeto e outros símbolos. Usado para manter contato com os espíritos. Ouija é marca registrada.
Ovomancia – Adivinhação por meio de jogar-se ovos ao fogo e observar-se de que forma arrebentavam.
Palmascopia – Augúrio tirado das palpitações notadas por meio da mão em diversas partes do corpo da vítima dedicada ao sacrifício.
Pegomancia – Adivinhação que se praticava nas fontes naturais de água lançando nela algumas pedras e observando seus movimentos dentro do líquido.
Peratoscopia – Adivinhação baseada no significado atribuído aos fenômenos e coisas extraordinárias que apareciam nos ares.
Phillorodomancia – Adivinhação por meio das folhas de rosas. Os gregos faziam estalar os círculos feitos com elas sobre o dorso ou sobre a palma da mão, tirando deduções e interpretações do ruído que faziam.
Psephosmancia – Espécie de adivinhação praticada pelos antigos que consistia em deduzir prognósticos através das figuras formadas por algumas pedrinhas escondidas na areia.
Quiromancia – Observação das linhas da mão.
Quironomia – Parte da quiromancia que estuda a mão segundo seus aspectos e sua forma para deduzir caracteres e indicações que complementam, precisam e detalham a análise e interpretação das linhas e outros sinais existentes na palma da mão.
Rabdomancia – Adivinhação por meio da varinha de adivinhação.
Rhapcodomancia – Adivinhação que se praticava, abrindo casualmente um livro de poesia e tomando as primeiras palavras vistas pelo consultante como sendo a resposta para suas perguntas. Geralmente usavam-se nesta adivinhação as obras de Homero e de Virgílio.
Sciamancia – Sistema divinatório baseado na evocação das sombras dos mortos. Diferencia-se da necromância e da psicomancia pelo fato de que não é a alma ou corpo do defunto que dá as respostas, mas uma sombra ou simulacro do falecido.
Sideromancia – Conjunto de conhecimentos que englobam o estudo dos corpos celestes, seus movimentos e posições em relação à Terra, e do influxo que possam exercer sobre as pessoas e coisas terrestres.
Spodomancia – Sistema divinatório que se praticava na Antigüidade por meio de cinzas procedentes das fogueiras dos sacrifícios.
Teomancia – Parte da cabala que estuda os mistérios da divindade e os contidos nos nomes sagrados.
Xilomancia – Observação da posição dos gravetos no chão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.