Siga por e-mail

Seguidores

terça-feira, 25 de novembro de 2014

25 de Novembro Dia de Perséfone

Perséfone - A Governanta do Submundo


Deusa Grega considerada a Rainha do Submundo. Filha de Zeus e Deméter.
A história de Perséfone simboliza o ciclo de plantio e da colheita. Ela é a rainha da morte e trazia a beleza por intermédio das sombras.
Podemos ampliar o mito da Deusa e perceber que Perséfone representa nosso self jovem, a criança interior que reside em cada um de nós e que vive dividida entre as sombras e a luz.
O mito também nos fala de recursos internos, da força das mulheres e do poder da solidariedade feminina.

Hécate é uma presença ambígua nos mitos de Perséfone. Ela viaja livremente entre a terra e o submundo e por isso pode ser considerada uma mediadora de Deméter e Perséfone. É uma Deusa anciã, portanto é o símbolo da mulher que sobreviveu com experiências de seus próprios submundos, sendo capaz de trazer a Deusa de volta ao mundo dos vivos. Em algumas versões dos mitos ela parece figurar como a companhante de Perséfone no submundo durante algum tempo. Também encerra a triplicidade da Donzela (Perséfone), Mãe (Deméter) e Anciã (Hécate), em eterna solidariedade, tornando-se apenas uma.

Invoque Perséfone para:

colheita, plantio, conhecimento interior, sabedoria, renascimento, morte, afastar o medo, força feminina.

Símbolos que a representa: tochas, narciso, romã, espiga de milho, feixe de trigos

Dia: Quinta-feira

Cores (toalha do altar, velas...) : preto, roxo, vermelho, verde e marrom

Aroma: narciso


Conctando-se com Perséfone:

Pegue três sementes de romã e, quando as estiver comendo, faça três pedidos a Perséfone. Para cada pedido feito, como uma semente e ao final enterre o restante da romã como oferenda à Perséfone.

Fonte: Todas as Deusas do mundo




segunda-feira, 3 de novembro de 2014

De onde surgiram as Bruxas Verdes?





A Bruxaria Verde não originou-se da Wicca.

Buscar espiritualidade na natureza não é um conceito novo, nem cuidar do meio ambiente tão pouco, esta prática vem de séculos…

A Bruxaria Verde é bastante antiga. 
As bruxas verdes eram vistas como benzedeiras,curandeiras, parteiras... conheciam e entendiam do emprego das ervas medicinais para a cura das enfermidades. 
O estilo de vida era totalmente natural. A magia estava em tudo ao seu redor. 
Essas mulheres viviam do plantio, da agricultura e criação de animais. Eram totalmente sintonizadas com a mãe natureza, e seguiam principalmente a sua intuição. Observavam as fases da lua e as passagens das estações e os únicos instrumentos que utilizavam para fazer magia além das ervas era a colher de pau, grandes caldeirões e outros utensílios de cozinha, além é claro, do poder das próprias mãos. Feitiços eram passados oralmente e a bruxaria era incorporada em atividades domésticas, fabricando artesanalmente óleos, pomadas, porções entre outros.

Hoje na wicca, existem as bruxas verdes modernas, filhas e netas das bruxas verdes antigas, por isso podemos colocá-las como uma Tradição familiar, talvez se encaixe também em bruxas de cozinha ou uma prática solitária. 

"Você com certeza deve ter uma bruxa verde em sua família, aquela mãe que sabe colher uma erva e sabe para que esta serve, uma tia que faz um chá de cidreira natural, uma avó que diz quando vai chover ou a amiga que quer te dar chá de boldo para ressaca."

A prática verde é muito pessoal para cada bruxa. Sendo portanto diferente para cada pessoa que a pratica.
Você não necessariamente precisa hoje ser wicca para ser uma bruxa verde. Você pode simplesmente optar por seguir este caminho de uma forma solitária. 




Vamos honrar a Deusa e seu consorte, vamos semear a paz, agregar valores possibilitando a utilização de "algo" bom e que traga benefícios aos que nos rodeiam, somar e respeitar a diversidade.

Alana

Dica de filme: Abençoe Me Última A Curandeira Dublado